fbpx

Alimentos sem Glúten são mais saudáveis?

As dietas que excluem o glúten são recomendadas e direcionadas a pessoas que apresentam doença celíaca; uma doença onde o indivíduo apresenta intolerância permanente ou alergia ao glúten, uma proteína encontrada em cereais como trigo, centeio e cevada.

O tratamento da doença baseia-se em uma alimentação isenta desta proteína por toda a vida. Para estas pessoas, o consumo do glúten provoca inflamação no intestino, além de outros efeitos colaterais, podendo impedir a absorção de nutrientes.

Contudo, ainda não há pesquisas conclusivas que sustentem a recomendação da exclusão do glúten da alimentação habitual para quem não for alérgico à proteína. Em contrapartida, estudos iniciais sobre o glúten sugerem que a sua retirada da alimentação pode favorecer a redução do peso corporal e do acúmulo de gordura. Esses achados podem estar relacionados à redução da ingestão total de calorias e carboidratos na dieta, que, por si só, apresenta benefícios comprovados na redução de peso.

Cabe destacar, ainda, que a maioria das pesquisas sobre os efeitos da dieta sem glúten é realizada em animais e apresenta resultados divergentes. Em uma pesquisa que avaliou o perfil nutricional de produtos vendidos em supermercados, concluiu-se que aqueles que apresentam na embalagem a descrição de “sem glúten” apresentaram piores teores de nutrientes comparados àqueles que contém “com glúten”.

Os autores concluíram que é improvável que o consumo de produtos sem glúten possa conferir benefícios à saúde para aqueles que não têm intolerância ao glúten.

No entanto, mais pesquisas são necessárias para melhor esclarecer os mecanismos e comprovar se há efeitos reais de dietas sem glúten para indivíduos saudáveis. Quando se objetiva a redução do peso e a saúde, é preciso ter um olhar ampliado.