fbpx

Vença os seus pensamentos negativos!!!

Raiva, tristeza, insegurança ou medo são algumas das emoções negativas que podem tomar conta da nossa mente, que chegam muitas vezes sem aviso e sem sabermos o que realmente nos causou este sentimento ruim.

Nem sempre é fácil vencer as emoções negativas, pois elas as vezes surgem de situações como discussões, excesso de preocupações, mudança de emprego, ou desilusões amorosas. Assim, para o bem-estar do corpo e da saúde mental, quando surgem emoções negativas devemos seguir as seguintes dicas:

1. Manter a calma

Para conseguir controlar e ultrapassar as suas emoções, o primeiro passo é manter sempre a calma e não desesperar e para isso deve:

· Parar o que está fazendo e respirar fundo, inspirando o ar pelo nariz em 1,2,3,4 e soltando pela boca lentamente, em 1,2,3,4;

· Tentar descontrair, mexendo o corpo, balançando os braços e as pernas e alongando o pescoço para a direita e para a esquerda.

· Ir apanhar um pouco de ar fresco e tentar relaxar, contando de 60 até 0, de forma lenta e gradual, olhando para cima se possível. Isso ajuda a relaxar o cérebro.

2. Identificar o Motivo

Identificar a razão do sentimento negativo é a segunda coisa que deve tentar fazer depois de se acalmar, sendo muito importante que dedique algum tempo a pensar e refletir sobre a situação. Às vezes, desabafar com alguém sobre o que está sentindo e sobre a situação também pode ajudar, pois desta forma pode também analisar pontos de vista que não tinha considerado.

Depois de identificar o motivo que levou ao descontrole emocional, deve tentar planejar o que vai fazer daqui para a frente para evitar este tipo de descontrole, mesmo que isso implique afastar-se de alguém específico ou de alguma situação em especial.

3. Fazer uma lista de sentimentos

Dedicar tempo para construir uma lista de sentimentos é outra dica muito importante, que pode ajudar a ultrapassar uma fase de sentimentos negativos.

Para isso, basta fazer uma lista e dividi-la em duas partes, onde de um lado deve escrever uma lista dos sentimentos positivos e agradáveis que se deseja sentir, como confiança, coragem ou calma, e do outro lado deve escrever todos os sentimentos negativos que sente como medo, raiva ou angustia.

Este tipo de listas são muito uteis para ajudar a lidar e ultrapassar sentimentos, e também podem ser realizadas quando existem dúvidas sobre se uma pessoa ou situação está sendo prejudicial, funcionando neste caso como uma lista dos sentimentos positivos e negativos que são transmitidos.

4. Fazer o que gosta

Fazer atividades que gosta e dão prazer como ver um filme, dar um passeio, pintar, ouvir música ou ler um livro é outra dica que ajuda a ultrapassar os sentimentos negativos. Estes tipos de atividades ajudam a gerir e ultrapassar os sentimentos negativos, uma vez que a atenção fica focada no bem-estar e prazer que a atividade lhe traz.

Controlar as emoções nem sempre é fácil, pois é necessário gerir bem os pensamentos negativos, sendo importante também aprender a ser mais otimista e a pensar positivo.

Como pensar positivo?

Para controlar as emoções é importante focar diariamente em pensamentos positivos, procurando ser otimista e centrando-se nas soluções e não nos problemas. Assim, algumas das formas que podem ajudar a pensar positivo incluem:

· Registar diariamente os momentos positivos: ao final de cada dia deve registrar 3 momentos agradáveis que tenham acontecido, escrevendo ou fotografando, por exemplo;

· Rir e sorrir: deve-se manter o humor positivo e estável durante o dia, rindo de si e com os outros;

· Ser fiel aos seus valores: é importante registrar os valores fundamentais da vida num papel e viver seguindo-os sempre que possível;

· Conviver com pessoas importantes: deve-se manter relacionar com pessoas que provocam sentimentos agradáveis, como família ou amigos próximos;

· Planejar o dia-a-dia: para ser positivista deve planejar as rotinas do trabalho, domésticas ou de lazer, usando uma agenda, pensando sempre que vai conseguir.

· Ser cauteloso e ponderado: deve-se avaliar bem todas as situações, antecipando o que pode acontecer de positivo e de negativo;

· Ser flexível: a pessoa deve procurar adaptar-se às situações, colocando-se sempre no lugar da outra pessoa.

Estas são algumas regras que o podem ajudar a ser mais positivo, no entanto é importante relembrar que ser positivo é acima de tudo uma escolha que cada um deve fazer. Além disso, ter hábitos saudáveis, como manter uma alimentação equilibrada, praticar exercício físico e dormir bem, é essencial para se se sinta bem e em equilíbrio, contribuindo também para a forma positiva e bem-estar.

Adote essas dicas e tenha uma Alta Performance em saúde, viva de forma mais equilibrada e saudável! Para continuar acompanhando informações sobre alimentação saudável, atividade física, sono e bem-estar, acompanhe nossas novidades no facebook, instagram e no nosso canal no youtube. Caso tenha dúvidas, deixe um comentário!

terrorismo alimentar - Dr. Thanguy Friço

Cuidado com o Terrorismo Alimentar

Cuidado com o Terrorismo Alimentar preconizado por certos profissionais da saúde e da internet, pois o excesso de restrições alimentares pode ser o começo de uma doença.

O terrorismo alimentar, apareceu com a demonização de certos alimentos e apologia a outros. Esse terrorismo varia seu alvo e teve início com o ovo, depois a gordura, depois o carboidrato, o açúcar e agora o glúten e a lactose. Todo esse excesso de variedade de informações contraditórias faz com que se torne cada vez mais confuso entender o que faz bem e o que faz mal na. Estamos vivendo a era dos extremos: enquanto as mídias fazem apologia do corpo ideal, muitas pessoas ostentam restaurantes caros, bebidas e pratos de comidas calóricos nas redes sociais. Atualmente, classificamos os alimentos de forma radical: é ruim ou é bom, ajuda ou prejudica, engorda ou emagrece. É um verdadeiro terrorismo nutricional. Esse terrorismo faz com que o ato de comer se torne um comportamento potencialmente nocivo para nossa alimentação.

Temos muita ansiedade na hora de comer, temos dúvidas sobre o que comer, o que é bom ingerir, o que se pode escolher. E raramente as pessoas pensam no que realmente querem, dentro do seu objetivo e estilo de vida, principalmente porque nos fizeram acreditar que tudo o que é gostoso faz mal e tudo o que é saudável não é saboroso.

Vivemos um tempo que a cada dia aparecem novos mocinhos ou vilões na área alimentar, precisamos ter atenção ao evitarmos determinados grupos de alimentos e o caminho ideal é um maior equilíbrio entre os grupos alimentares. Está cada vez mais raro encontrar pessoas que pregam o equilíbrio e ainda mais difícil encontrar aquelas que o praticam. Infelizmente, as pessoas tendem a agir de forma extremista: ou se alimentam de forma exageradamente saudável ou comem de forma totalmente descontrolada, enquanto o mais adequado seria nem um, nem outro.

O grande problema é quando as restrições descambam para o radicalismo, certos médicos, nutricionistas e outros profissionais que nem da área de saúde são, e intitulam-se pesquisadores de saúde, começam a dar dicas de que devemos por exemplo evitar de uma vez por todas o leite, a gordura dos alimentos, nem se fale então, nos alimentos que contem glúten, dentre muitos outros alimentos. Isso não é defesa da saúde, isso é terrorismo alimentar. Há um excesso de informações contraditórias em relação à alimentação, ninguém sabe mais o que comer, precisamos salvar as pessoas do excesso de restrições que está acabando com o prazer da nossa comida.Enquanto formos rígidos com esses critérios, certamente estaremos passíveis de arcar com o sentimento de culpa. E essa culpa ao comer atrapalha nossa saúde física, mental e social.

Alimentos sem Glúten são mais saudáveis?

As dietas que excluem o glúten são recomendadas e direcionadas a pessoas que apresentam doença celíaca; uma doença onde o indivíduo apresenta intolerância permanente ou alergia ao glúten, uma proteína encontrada em cereais como trigo, centeio e cevada.

O tratamento da doença baseia-se em uma alimentação isenta desta proteína por toda a vida. Para estas pessoas, o consumo do glúten provoca inflamação no intestino, além de outros efeitos colaterais, podendo impedir a absorção de nutrientes.

Contudo, ainda não há pesquisas conclusivas que sustentem a recomendação da exclusão do glúten da alimentação habitual para quem não for alérgico à proteína. Em contrapartida, estudos iniciais sobre o glúten sugerem que a sua retirada da alimentação pode favorecer a redução do peso corporal e do acúmulo de gordura. Esses achados podem estar relacionados à redução da ingestão total de calorias e carboidratos na dieta, que, por si só, apresenta benefícios comprovados na redução de peso.

Cabe destacar, ainda, que a maioria das pesquisas sobre os efeitos da dieta sem glúten é realizada em animais e apresenta resultados divergentes. Em uma pesquisa que avaliou o perfil nutricional de produtos vendidos em supermercados, concluiu-se que aqueles que apresentam na embalagem a descrição de “sem glúten” apresentaram piores teores de nutrientes comparados àqueles que contém “com glúten”.

Os autores concluíram que é improvável que o consumo de produtos sem glúten possa conferir benefícios à saúde para aqueles que não têm intolerância ao glúten.

No entanto, mais pesquisas são necessárias para melhor esclarecer os mecanismos e comprovar se há efeitos reais de dietas sem glúten para indivíduos saudáveis. Quando se objetiva a redução do peso e a saúde, é preciso ter um olhar ampliado.